Buscar
  • Tiãozinho Safrater

Nossa casa, nosso valor!

Conheça quem passou pela Safrater como beneficiário e hoje atua como colaborador da casa, despertando o melhor de si e inspirando outras pessoas.

Prata da CASA


A Safrater oferece oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional aos usuários dos seus serviços e também abre as suas portas para que ex-alunos trabalhem no ambiente em que foram formados. Os talentos ganham emprego, reconhecimento e ainda ajudam a contribuir para o sucesso de projetos nos quais também estiveram. Eles formam a habitualmente chamada “prata da casa”, expressão muito usada nesse tipo de situação. Como diz o ditado popular, “o bom filho à casa torna”. Por isso, a Safrater não só guia os primeiros passos de seus alunos, como reconhece os talentos da casa e oferece oportunidades nos seus mais diversos departamentos e áreas. Esse é caso de 12 ex-alunos que hoje são colaboradores da organização. Conheça!



Larissa Brito Silva, 22 anos, conta que realizou curso de Operador de Computador em 2015 e, meses depois, decidiu fazer o curso de Auxiliar Administrativo, que abriu a porta para o processo seletivo de jovem aprendiz da área. “Hoje sou formada em administração e já faz dois anos que trabalho na Safrater, realizando manutenção de planilhas e atendimento dos alunos”, conta.



Vanessa Araújo dos Santos, 22 anos, afirma que a Safrater a ajudou a realizar o sonho de fazer faculdade. “Fiz o curso de Balconista de Farmácia e depois passei no processo seletivo de jovem aprendiz para uma empresa parceira. Recebi a proposta da Safrater para cuidar dos aplicativos do Google no setor administrativo, o que me ajudou a bancar as despesas da faculdade”, diz.



O primeiro contato de Raimunda Marinilce Costa Souza, 46 anos, com a Safrater foi com o Mova, onde estudou da primeira a quinta série do ensino fundamental. “Eu já trabalhava na Safrater como auxiliar de limpeza e decidi me inscrever no curso para me atualizar. Minha maior dificuldade era conciliar trabalho, estudo e tarefas domésticas, mas valeu super a pena”, afirma.


“o bom filho à casa torna”

Em 2008, Joselita Galvão Balduino, 58 anos, começou a frequentar a Safrater como aluna do Mova no curso de primeira a quinta série do ensino fundamental e em 2009 foi contratada como auxiliar de limpeza. “Fiz curso de Secretariado também. Na Safrater, eu estudei, me capacitei e tive a oportunidade de conseguir emprego. Estou sempre querendo melhorar”, ressalta.




Giovanna Souza Duarte Coutinho,

22 anos, já foi aluna da creche e aos 7 anos participou do CCA. Quando mais velha, voltou para realizar o estágio voluntário solicitado pela faculdade, onde acompanhou o desenvolvimento das crianças e realizou análise de casos.


“Hoje sou assistente social e trabalho nas oficinas com projetos voltados para o acolhimento. Meu trabalho é semear esperança, fui transformada e hoje posso transformar”, explica.



Ao procurar o primeiro emprego, Gabriel Santos Ferreira, 21 anos, ficou sabendo que a Safrater oferecia cursos profissionalizantes. “Comecei o curso de operador de computador em 2017 e seis meses depois fui chamado para o processo seletivo de jovem aprendiz.


Hoje trabalho na triagem do brechó Re:vestir, onde avalio e precifico os produtos que chegam. O instituto abriu a porta para o meu primeiro emprego e depois me deu uma oportunidade efetiva, é um sentimento muito bom”, conta.



Simone Alves Barbosa, 37 anos, começou sua trajetória na Safrater começou quando ela tinha 9 anos. “Sou orientadora de sala e faço atividades lúdicas e introdutórias com as crianças. Esse é o mesmo pro-grama que eu fiz quando era pequena e hoje a minha filha também participa. Tenho uma relação muito boa com instituição, sinto que devolvo um pouco do que já recebi”, conta.








Em 2016, Larissa Rodrigues Lima de Souza, 19 anos, foi aluna do curso preparatório para adolescentes e jovens que buscam uma oportunidade no mercado de trabalho. “Trabalho no brechó Re:vestir há 1 ano e 7 meses, auxiliando na triagem, precificação e classificação das peças e utensílios. Os cursos ajudaram muito no meu desenvolvimento, é extremamente gratificante”, diz.







Vinícius Rodrigues dos Santos, 20 anos, conheceu a Safrater através do irmão. “Comecei com o curso de Secretaria Escolar e também fiz o de Operador de Computador. Hoje, trabalho como auxiliar de escritório e, além disso, sou responsável pelo controle de produtos de limpeza e da cozinha. Batalhei muito e me sinto feliz em ser reconhecido pela Safrater”, finaliza.


“Batalhei muito e me sinto feliz em ser reconhecido pela Safrater”.


Lucas Costa Silva, 19 anos, já realizou os cursos de Eventos, Operador de Computador e CFC. “Eu trabalho no Brechó Re:vestir há 1 ano e 3 meses. Sou responsável pela abertura e fechamento da loja, mas também atendo os clientes, fico no caixa e ajudo na precificação. É muito bom ver que os cursos que eu fiz me ajudaram, todos valeram a pena”, diz.











O irmão de Luana Carolina Lima Santos, 28 anos, trabalhava como professor na Safrater quando indicou os cursos para ela. “Em 2016 fiz meu primeiro curso de Operador de Computador. Cheguei a trabalhar em outros lugares, mas voltei para a Safrater em 2020 como estoquista do Brechó Re:vestir. É gratificante trabalhar onde já estudei, fui muito bem recebida por todos”, afirma.











Marcos Tadeu Barbosa de Morais, 21 anos, trabalha no departamento financeiro, onde realiza agendamento de pagamentos e envio de relatórios para gestores. “Em 2018, fiz o curso Balconista de Farmácia e comecei o de Auxiliar Administrativo, mas não finalizei porque passei no processo de Jovem Aprendiz em uma empresa parceira. Acabei voltando para a Safrater para ajudar a implantar um novo sistema no financeiro”, diz.

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo