Buscar
  • Tiãozinho Safrater

Do Cetecc para o mundo

Ex-aluno de inglês trabalha a bordo de navio e já conheceu 34 cidades em 16 países

A combinação de persistência e dedicação mudou a vida de Alex Marcelino de Oliveira Pires, hoje com 35 anos, aluno de inglês do Cetecc (Centro Educacional e Tecnológico Casa do Caminho) entre 2017 e 2018. Desde 2019, quando embarcou pela primeira vez em um navio da MSC Cruzeiros, ele já perdeu a conta de quantas pessoas de diferentes países conheceu. Mas tem na ponta da língua quantas cidades (34) e países (16) visitou pela primeira vez na vida.


“Lembro de ter chegado na Safrater para estudar inglês em uma época bem difícil da minha vida: estava desempregado, desmotivado, com depressão...resumindo, estava desesperado. Um dia passei em frente ao Cetecc e vi a placa ‘curso de inglês gratuito’. Lembro que cheguei em casa, liguei para me informar, anotei tudo e fui. Mas cheguei um pouco tarde e a fila já estava enorme. Como me informaram que não haveria como fazer a inscrição, eu fui embora, mas no meio do caminho decidi voltar. Daí descobri que todo mundo que estava na fila passaria por um processo seletivo. Consegui uma senha e fiquei”, resume Alex, que em seguida foi aprovado na seleção e se tornou aluno de inglês.


Morador do Jabaquara, zona sul de São Paulo, e com segundo grau completo, Alex passou a complementar em casa os estudos de inglês no Cetecc, pela internet. “Nas aulas, eu era o primeiro da sala, sentava bem na frente,


concentrado, determinado a aprender. Em casa revisava o material. E complementava com a internet, vendo vídeos no Youtube”, relembra.

Foi graças a um workshop que Alex descobriu uma vaga para um emprego internacional na MSC Cruzeiros. “Foi uma entrevista em inglês e pedi uma oportunidade. Fui para a segunda fase, também em inglês, e passei com 60% de aproveitamento - se tivesse errado uma questão a mais estaria fora”.


Em janeiro de 2019, Alex embarcou para cumprir seu primeiro contrato de trabalho, como auxiliar de cozinha, em um total de sete meses a bordo. Apenas três meses mais tarde foi transferido para um cargo de liderança na cozinha, ganhou mais responsabilidade e passou por Portugal, Itália, Espanha, França, Noruega, Rússia, Dinamarca, Finlândia… foram 16 países até hoje. “Agora estou pensando em me aperfeiçoar na gastronomia ou mesmo em alguma outra profissão, pois há várias que só existem a bordo. Lá dentro é um mundo à parte. A área de gastronomia é fortíssima, extremamente importante”.

Com a pandemia, o setor de turismo foi duramente atingido em todo mundo, e Alex voltou para casa. Estava prestes a se tornar supervisor. Mas o desânimo passou longe dele.


“Hoje continuo estudando inglês e começando a aprender espanhol e italiano. Trabalho com mais de 70 nacionalidades a bordo e meu inglês, que não era tão bom quando comecei, agora está ficando em um nível bacana. Quero crescer, coloquei na cabeça que quero conhecer Londres, depois tirar visto americano de turismo”, conta Alex, que em 24 de agosto embarcou para Paris, para o terceiro contrato profissional.


Mesmo em alto mar, em contato com pessoas de culturas tão diferentes e em uma realidade bem distinta da que tinha alguns anos atrás, Alex leva sempre consigo em pensamento os pais e os três irmãos. E não esquece da Safrater.



“As amizades e os professores, que são nota 10, são minha maiores lembranças. O curso de inglês do Cetecc foi a base de tudo, mudou a minha vida da água para o vinho. Conheci muitos lugares que nunca imaginei na vida. O alto mar é minha casa. Muita gratidão a todos os amigos da Safrater”, finaliza.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo